Artigos

Software p/ Gestão de Frotas: Comprar ou Desenvolver

Muitas empresas que possuem infra-estrutura própria de informática já tentaram ou mesmo desenvolveram programas próprios e não obtiveram o êxito esperado, após investirem quantidades apreciáveis de tempo e dinheiro. Para muitas empresas com grau de informatização mais elevado, a opção por comprar sistemas já consagrados está clara. Esta opção tem muitas vantagens técnicas e administrativas, sendo fator importante para a terceirização. Mesmo assim, é grande o número de empresas que decidem desenvolver soluções próprias. Estas empresas, em geral, não avaliam corretamente alguns fatores importantes:

1. Tempo de desenvolvimento: um software aplicativo de média complexidade requer centenas e até milhares de horas de trabalho de uma mão-de-obra especializada nas tarefas de definição das características do sistema, desenvolvimento, testes, documentação e implantação com um prazo longo, até que esteja disponível para uso. O produto comprado pronto já está disponível para implantação imediata, dando benefícios muito mais rapidamente. Possivelmente, o investimento já estará pago antes que um produto desenvolvido internamente tenha entrado em operação.

2. Custo: em geral, o número de horas técnicas é subestimado e os encargos trabalhistas e os custos indiretos não são computados, resultando em valores muito abaixo dos reais. Adquirindo um produto pronto, o custo é fixo e conhecido "a priori" sendo, normalmente, muito menor que o custo de desenvolvimento.

3. Características técnicas: o software próprio é especificado para atender às necessidades imediatas da empresa, que são dinâmicas e podem mudar enquanto o sistema está sendo desenvolvido. Além disso, qualquer detalhe esquecido implica em alterações, retrocessos ou "remendos", o que prejudica a qualidade final e aumenta os custos. Um produto desenvolvido para o mercado e utilizado por muitas empresas é rico em recursos, bem acabado e documentado e, principalmente, abrangente, podendo atender às necessidades atuais e futuras da empresa. A probabilidade de apresentar erros é mínima, pois além de ser muito bem testado pelo fornecedor, também é testado pelo mercado;

4. Conflito entre especificador e desenvolvedor.